Home Tech Requisitos de Sistema – Battlefield 1 (PARTE 2)

Requisitos de Sistema – Battlefield 1 (PARTE 2)

130
0
SHARE

Hello Guys,

Dando continuidade a nossa jornada técnica, hoje tenho um novo assunto para tratar com vocês. rsrsrs… Sim! Estou falando da velha pergunta: “Será que meu computador está pronto para receber o jogo mais pesado em termos de performance em cores, memória e vídeo da serie Battlefield?” lol!!! Tá liso? Sem grana? Então se esforça pois BF1 não é para qualquer um. :(. Vale a pena todo o R$ investido, pode confiar.

Bom, hoje vamos falar um pouco sobre as novidades que temos por aí quando o assunto é Processadores.

Para que possamos iniciar esse bate papo eu não poderia deixar de lembra-los sobre alguns conceitos importantes quando o assunto é Processadores.

Quando falamos de processadores existem alguns itens que sem dúvida faz com que um chip seja diferente do outro, são eles: Performance, Cache de memória e Threads por core. Mas você sabe o que significa cada um deles? Então vamos lembrar rapidamente:

Performance: A palavra performance vem do verbo em inglês “to perform” que significa realizar, completar, executar ou efetivar. Em muitas ocasiões é usada no contexto de exibições em público, ou quando alguém desempenha algum papel no âmbito artístico, como um ator, por exemplo. Performance também pode ser o conjunto dos resultados obtidos em um determinado teste por uma pessoa. 

Sabe porque está em negrito a última parte do item acima? Porque ela resume bem como identificar se um processador é melhor que o outro, pois para conseguir os resultados dos testes é necessário consultar um negócio chamado Benchmark. E o que é Benchmark?

De forma simples e direta Benchmark, no universo da computação, é a ação de comparar performance e desempenho relativo de um objeto ou produto por meio da execução de um programa de computador. Para conseguir dados corretos sobre os diferentes produtos e objetos, com a finalidade de compará-los de maneira equivalente, uma série de testes padrões e ensaios são realizados.

Existem vários tipos de Benchmark que sáo utilizados para comparar processadores hoje em dia, como por exemplo vou citar 3 tipos:

SPECint é uma especificação de Benchmark de computador para poder de processamento inteiro de CPU . Ele é mantido pela Standard Performance Evaluation Corporation (SPEC). SPECint é o componente de teste de desempenho inteiro do conjunto de testes SPEC. Informações: http://spec.org/

RPE2 ou Estimativa relativa de desempenho do servidor relativo 2 é um benchmark de computador desenvolvido pela Ideas International para comparar o desempenho relativo de servidores construídos em arquiteturas de processador x86 , IA-64 e RISC . Informações: http://www.gartner.com/technology/research/ideas-international.jsp

RPerf é um benchmark de computador que avalia o desempenho relativo de OLTP de servidores baseados em microprocessadores IBM POWER . Ele é publicado pela IBM e derivado de um modelo baseado em cargas de trabalho específicas, além de benchmarks de Transaction Processing Performance Council e SPEC . [1]

No meu dia a dia é importante consultar os benchmark? Resposta: MUITO IMPORTANTE! Sem esses caras não conseguimos identificar e comparar um processador do outro em suas características técnicas.

Entendi AngeliM! E qual é o outro assunto importante quando falamos de processadores? Eu respondo: Um negócio chamado “Cache de memória” de processadores. Você sabe o que isso significa? Então vamos lá.

Cache de memória é uma memória de alto desempenho localizada dentro do processador e que serve para aumentar a velocidade no acesso aos dados e instruções armazenados na memória RAM. Quer um exemplo prático?

Achei um legal, olha aew: Um computador é completamente inútil se você não diz ao processador o que ele precisa fazer. Isto é feito através de um programa, que é um conjunto de instruções que dizem ao processador o que deve ser feito. O processador busca os programas na memória RAM. O problema é que quando a alimentação do computador é cortada, o conteúdo da memória RAM é perdido. Por isso que classificamos as memórias RAM como voláteis. Por essa razão, programas e dados devem ser armazenados em uma mídia não volátil (ou seja, onde o conteúdo não seja perdido após desligarmos o computador) caso você queira tê-los de volta após ter desligado o computador. As mídias de armazenamento não voláteis mais conhecidas são os discos rígidos e as mídias ópticas (CDs e DVDs).

Quando você clica duas vezes sobre o ícone de um programa no Windows, o programa, que está normalmente armazenado no disco rígido da máquina, é carregado para a memória RAM. Em seguida, o processador carrega o programa a partir da memória RAM através de um circuito chamado controlador de memória, que está localizado dentro do chipset (chip ponte norte), no caso dos processadores da Intel, ou dentro do próprio processador, no caso dos processadores da AMD. O processador não pode buscar dados diretamente do disco rígido porque os discos são muito lentos, mesmo se você considerar o disco rígido mais rápido disponível no mercado. Só para você ter uma ideia do que estamos falando, um disco rígido SATA-300 – o tipo mais rápido encontrado no mercado hoje para o usuário comum – tem uma taxa de transferência máxima teórica de 300 MB/s. Um processador trabalhando internamente a 2 GHz com caminhos de dados* internos de 64 bits consegue transferir dados internamente a 16 GB/s – ou seja, 50 vezes mais rápido.

*Traduzindo: são os caminhos entre os circuitos internos do processador. Esta é uma conta grosseira e serve apenas para te dar uma ideia, já que os processadores têm internamente vários caminhos de dados diferentes, cada um transferindo um número diferente de bits por vez. Por exemplo, nos processadores da AMD o caminho de dados entre o cache de memória L2 e o cache de memória L1 é de 128 bits, enquanto que nos atuais processadores da Intel este caminho de dados é de 256 bits. Se você está confuso, não se preocupe. Isto é só para explicar que o número mostrado no parágrafo acima não é fixo, mas o processador é sempre muito mais rápido do que os discos rígidos.

Para maiores informações: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cache

E por último termos as Threads de processadores. Sem dúvida de grande importância. E o que é Threads, Guga?

Linha ou Encadeamento de execução (em inglês: Thread), é uma forma de um processo dividir a si mesmo em duas ou mais tarefas que podem ser executadas concorrencialmente. O suporte à thread é fornecido pelo próprio sistema operacional no caso da linha de execução ao nível do núcleo (em inglês: Kernel-Level Thread (KLT)), ou implementada através de uma biblioteca de uma determinada linguagem, no caso de uma User-Level Thread (ULT). == Uma thread permite, por exemplo, que o usuário de um programa utilize uma funcionalidade do ambiente enquanto outras linhas de execução realizam outros cálculos e operações.

Em hardwares equipados com uma única CPU, cada thread é processada de forma aparentemente simultânea, pois a mudança entre uma thread e outra é feita de forma tão rápida que para o utilizador, isso está acontecendo paralelamente. Em hardwares com múltiplos CPUs ou multi-cores, as threads são realizadas realmente de forma simultânea.

Entendeu porque é muito importante? Em resumo: Meu processador tem mais Thread por core? Então pode ter certeza que suas aplicações, jogo e etc… vão ter um desempenho muito melhor. Hoje por exemplo o único processador que possui 8 Thread por core é o IBM POWER8 (http://www-03.ibm.com/systems/power/hardware/). Mas nesse caso estamos falando de processadores voltados para servidores e não Desktops ou Notebooks.

Agora que vocês já sabem os principais conceitos sobre processadores, posso citar alguns modelos que hoje estão em destaque no mundo dos games como Battlefield 1 e que eu particularmente acho os melhores. São eles:

PROCESSADOR AMD FX 8320E (8-Core) 3.2GHz/8MB+8MB/95W/AM3+ OEM

– Marca: AMD
– Modelo: FX8320E
– PN: FD832EWMHKBOX
– Socket Processador AM3+
– Processador AMD FX
– Velocidade Clock Processador 3.2GHz (4.0GHz Max Turbo)
– Cache processador 16MB
– Arquitetura 32 nm
– Número de Núcleos 8
– Voltagem / TDP 95W

Informações: http://www.amd.com/pt-br/products/processors/desktop/fx

PROCESSADOR Intel Core i7-5820K 3.3GHz/15MB (6C/12T) LGA2011-v3 OEM

 

 

Marca: Intel
Série: Core i7
Modelo: BX80648I75820K
Socket CPU: LGA 2011-v3
Linha: Haswell-E
Nº de núcleos: 6-Core
Nº de Threads: 12
Nome: Core i7-5820K
Frequência: 3.3GHz
L2 Cache: 6 x 256KB
L3 Cache: 15MB
Litografia: 22nm
Suporte a 64-Bit: Sim
Hyper-Threading Support: Sim
TDP: 140W

Informações: https://ark.intel.com/pt-br/products/82932/Intel-Core-i7-5820K-Processor-15M-Cache-up-to-3_60-GHz

Realmente são ótimo processadores para games, desenvolvimento e aplicações que possuem bastante necessidade de performance. O preço de mercado varia entre R$: 557,00 para o AMD e para o Intel R$: 1.558,00. É amigos… É TOP!

Bom, logo estarei compartilhando novidades e falando sobre outros assuntos como memória e discos mais utilizados para o game Battlefield 1.

Grande abraço!!! []s